Necessidades do familiar-cuidador

Diante das mudanças provocadas no paciente com Doença de Alzheimer e do novo contexto familiar, o familiar-cuidador precisa conciliar atividades frente ao acúmulo de tarefas, provendo cuidado adequado ao paciente, sem deixar de lado sua vida pessoal e familiar. Esse é um desafio que dificilmente é vencido sem apoio. Alguns familiares-cuidadores assumem o papel de mártires e querem tudo do seu jeito, não permitindo aproximação ou divisão de tarefas. Delegar funções, ter tempo para descansar ou distraur-se sem extrema responsabilidade pode ajudar a enfrentar a tarefa de cuidado. Tornar o percurso mais leve pode garantir boa qualidade de vida. Para tanto, seguem algumas dicas:

  • Investir em autocuidado com manutenção de rede social e apoio familiar com momentos de busca de satisfação pessoal.
  • Conciliar atividades frente a acúmulo de tarefas: cuidado e vida pessoal e familiar.
  • Lidar com estresse buscando alternativas de divisão de tarefas e aceitação de perdas.
  • Oferecer oportunidade de autonomia para os pacientes avaliando sua capacidade para tomada de decisão.
  • Oferecer cuidado adequado e estabelecer relacionamento de qualidade com pacientes.
Avalie esta página: 
Média: 4.7 (47 votos)