Perguntas frequentes

Ao longo de décadas de atuação no trabalho de apoio a cuidadores familiares, a ABRAz realizou milhares de reuniões de Grupos de Apoio e atendimentos telefônicos pelo serviço Fale Conosco ou em plantões especiais em datas comemorativas. Dessa extensa experiência com o público foram retiradas as perguntas mais frequentes de cuidadores e familiares de doentes de Alzheimer. Todas as questões foram respondidas e estão agrupadas por tema.

Sobre a doença

O que são habilidades/funções cognitivas?

As funções cognitivas são as habilidades mentais que permitem o raciocínio, a aprendizagem e a aquisição de conhecimento que fazem parte do desenvolvimento intelectual. As principais funções cognitivas afetadas na DA são: memória recente, atenção, orientação temporal e/ou espacial, planejamento e linguagem.

Por que a fala se torna comprometida?

A linguagem é uma das funções cognitivas que pode ficar afetada nos quadros demenciais. A fala é o resultado de muitas tarefas mentais complexas e alguma dificuldade pode prejudicá-la. Para uma fala coerente e contextualizada, o paciente precisa estar atento à conversa, ter clareza do contexto em que acontece, reter informações e ainda ter boa compreensão. Se algumas dessas etapas caracterizar-se por uma falha, a fala pode aparecer comprometida. Além disso, pode haver problemas articulatórios (envolvendo a parte motora). Portanto, são muitas as interferências que podem prejudicar a fala do paciente.

Em pessoas com mais de 60 anos, ter esquecimentos significa que necessariamente ela está com Doença de Alzheimer?

Não. Esquecimentos podem ser mais frequentes com o avanço da idade. O que caracteriza a perda de memória na DA é:

  • Dificuldade ou ausência de registro de novas informações.
  • Repetição de falas como se o fato não tivesse ocorrido.
  • Interferência no cotidiano como, por exemplo, não recordar de compromissos ou, em casos mais avançados, ter dificuldade para reconhecer um conhecido.

Doença de Alzheimer acomete apenas os idosos?

Não. Na maioria dos casos de Doença de Alzheimer a doença é verificada em pessoas com mais de 60 anos de idade. Esses casos são chamado de Doença de Alzheimer de acometimento tardio ou senil. Entretanto, existe uma minoria de casos em que a Doença de Alzheimer é precoce, ou seja, incide em pessoas com menos de 60 anos de idade, pré-senil. O principal fator de risco para a doença é a idade.

Sobre o diagnóstico

Quais exames podem ser pedidos a alguém com suspeita de Doença de Alzheimer?

  • Exames laboratoriais: hemograma completo, sódio, potássio, ureia, creatinina, vitamina B12.
  • Exames de imagem: tomografia computadorizada, ressonância magnética, eletroencefalograma, Spect.

Devem ser realizados exames para excluir a possibilidade de outras doenças. Faz parte da bateria de exames complementares uma avaliação aprofundada das funções cognitivas. A avaliação neuropsicológica envolve o uso de testes psicológicos para a verificação do funcionamento cognitivo em várias esferas. Os resultados, associados aos dados de história e observação do comportamento do paciente, permitem identificar a intensidade das perdas em relação ao nível prévio e o perfil de funcionamento permite a indicação de hipóteses sobre a presença da doença.

Páginas