Perguntas frequentes

Ao longo de décadas de atuação no trabalho de apoio a cuidadores familiares, a ABRAz realizou milhares de reuniões de Grupos de Apoio e atendimentos telefônicos pelo serviço Fale Conosco ou em plantões especiais em datas comemorativas. Dessa extensa experiência com o público foram retiradas as perguntas mais frequentes de cuidadores e familiares de doentes de Alzheimer. Todas as questões foram respondidas e estão agrupadas por tema.

Sobre o diagnóstico

O que é teste neuropsicológico, quem o aplica e onde?

A avaliação neuropsicológica compreende uma bateria de testes psicológicos para verificação de funcionamento cognitivo. O teste tem duração de cinco horas, em média. São aplicados instrumentos que avaliam memória, capacidade de planejamento, linguagem, atenção e outras funções cognitivas, com o objetivo de:

  • Auxiliar no diagnóstico.
  • Planejar estimulação cognitiva.
  • Orientar as famílias quanto às atividades, autonomia, decisões e riscos envolvidos na rotina do paciente.

A avaliação deve ser feita por psicólogos especializados nessa área. Algumas instituições contam com esses profissionais e o exame pode ser feito em consultórios ou em domicílio, se necessário.

O diagnóstico de Alzheimer é 100% certo?

Não. Na prática, o diagnóstico da Doença de Alzheimer é clínico, isto é, depende da avaliação feita por um médico que irá definir, a partir da história e de exames, qual a principal hipótese para a causa de demência. A eficácia do tratamento também reforça a hipótese do diagnóstico. A certeza do diagnóstico só pode ser obtida através do exame microscópico do tecido cerebral, procedimento que, por apresentar riscos ao paciente, costuma ser indicado apenas em situações muito específicas. O exame pós-morte, raramente realizado, confirmaria com 100% de certeza a DA.

Sobre o tratamento

O que a rede pública disponibiliza para o tratamento?

O paciente com Doença de Alzheimer tem direito à assistência pública e a medicamentos gratuitos, de acordo com a Portaria 703 do Ministério da Saúde, que regulamenta o atendimento ao paciente de Doença de Alzheimer na rede pública.

Os direitos estabelecidos pela portaria englobam:

  1. Consultas para diagnóstico.
  2. Atendimento na rede púbica.
  3. Atendimento em hospital-dia.
  4. Atendimento hospitalar.
  5. Visita domiciliar de profissional da saúde.
  6. Tratamento acompanhado por equipe multidisciplinar.
  7. Programa de orientação e treinamento para familiares.
  8. Medicação gratuita.

Quais medicamentos são fornecidos pela rede pública?

  • Rivastigmina.
  • Donepezil.
  • Galantamina.

Observação: O medicamento Memantina não está na lista do governo e precisa ser comprado. Quando a portaria foi assinada, não existia a memantina. A ABRAz já solicitou sua inclusão na lista dos medicamentos gratuitos, mas ainda não obteve resposta.

Como conseguir os medicamentos gratuitamente?

Para que o paciente tenha acesso aos medicamentos incluídos na lista do Governo, ele deve ser analisado clinicamente por um médico, além de fazer exames laboratoriais e de imagem. Somente os pacientes que se encontram nos estágios inicial e intermediário da doença podem ter acesso aos medicamentos de distribuição gratuita.

Páginas